Engajamento de pacientes no tratamento médico, problema ou oportunidade?

colher_remedios-e1428355276686.jpg

É constatado que pacientes que estão mais ativamente envolvidos com os cuidados relacionados ao tratamento médico têm resultados mais satisfatórios e impactam em menores custos para o sistema de saúde. Em meio a esta realidade, provedores do segmento, como Governo e planos de saúde, começam a buscar novas maneiras de engajar seus pacientes na busca pela melhoria de seus tratamentos médicos e, consequentemente, torná-los mais saudáveis. Você sabe o custo de oportunidade que está relacionado ao gap de medicação e tratamento dos pacientes? Segundo pesquisa realizada pelo IMS Institute of Healthcare Informatics, este custo gira em torno de US$ 213 Bilhões de dólares apenas nos Estados Unidos, representando 8% dos gastos de saúde americano.

Logo abaixo é possível verificar as áreas que mais necessitam de melhorias para reduzir os custos de saúde do mercado americano:

Analisando essas oportunidades, fica claro a indispensabilidade de engajar os pacientes a seguirem o tratamento da maneira correta e para isso, surge a necessidade do desenvolvimento de ferramentas adequadas para o tratamento desses usuários, possibilitando assim uma mudança de paradigmas no cenário de saúde dos pacientes.

Organizações de saúde podem construir portais de pacientes para melhorar a educação e o acesso a informações sobre doenças e tratamentos médicos, enquanto startups surgem para desenvolver novos aplicativos e plataformas para acompanhar os pacientes e fornecer dados para agentes de saúde, permitindo que os mesmos possam agir na melhoria do tratamento de seus pacientes gerando resultados aos provedores de saúde e aos usuários a médio e longo prazo.

Os maiores exemplos de engajamento de tratamentos médicos que impactam  na redução de custos de saúde são de usuários que possuem doenças crônicas, já que por necessitarem de cuidados especiais de saúde e medicação por praticamente toda a vida, a medicação adequada evitará inúmeros gastos como hospitalizações, cirurgias e outros procedimentos que podem ser facilmente evitados apenas com o tratamento médico seguido conforme prescrito.

Exemplo de percentual de redução de gastos médicos associados ao aumento de 1% na adesão ao tratamento prescrito a doentes crônicos, segundo a CBO - Congressional Budget Office:

Redução nos custos médicos associados ao aumento de 1% na adesão ao tratamento

 

É importante destacar que fatores como crenças, culturas e regulações vindas tanto dos pacientes quanto de organizações e da sociedade influenciam no aumento ou redução do engajamento dos pacientes.

Mesmo com alguns fatores externos que podem impedir o processo de engajamento dos pacientes, a articulação entre todos os atores envolvidos é fundamental para que este processo ocorra com sucesso, já que não basta, por exemplo, que apenas o médico participe desse processo, sendo necessário que pacientes e até mesmo planos de saúde auxiliem o mesmo. Pacientes e familiares devem evitar que o tratamento seja interrompido antes do término previsto e planos de saúde devem desenvolver indicadores e fornecer ferramentas adequadas para auxiliar seus médicos no processo de acompanhamento e melhoria contínua dos tratamentos.

Para que tudo isso funcione, é fundamental que exista interesse e participação por parte dos pacientes, o que pode apresentar certa resistência. Porém, quando os principais atores envolvidos no sistema de saúde começarem as mudanças e adesão às novas tecnologias, veremos uma grande melhoria na saúde da população e aumento da expectativa de vida, assim como uma economia considerável nos gastos do sistema de saúde.