Integração entre médicos e pacientes: o futuro está próximo!

health-technology-thinkstock-istock-crop-e1426877153191.jpg

A tecnologia na área da saúde deixou de ser uma realidade apenas em grandes hospitais e passou a estar presente também no dia a dia das clínicas e consultórios. Os avanços recorrentes na área de E-Health possibilitam que o médico tenha uma infinidade de informações dos pacientes para um melhor diagnóstico,além de auxiliar na redução de custos, melhorar a qualidade do tratamento médico e permitir analisar informações externas ao consultório. Para difundir ainda mais as novas tecnologias na área da saúde, as plataformas que vem surgindo neste setor nos últimos tempos chegam justamente para romper as barreiras de distância entre o consultório e a casa dos pacientes. O acesso a estas plataformas substitui a necessidade de um médico? A resposta é não. O trabalho do médico não é substituído, uma vez que continua fundamental a análise do quadro clínico dos pacientes, a conscientização do tratamento a ser seguido e, ainda, a prescrição de medicamentos.

Percebe-se que as plataformas de E-Health servem para facilitar o trabalho diário do médico, provendo informações sobre a saúde do paciente por meio de dispositivos inteligentes conectados às rotinas diárias de cada usuário, como por exemplo os wearables (confira o que são e como vão revolucionar a medicina em nosso próximo post) e até mesmo os celulares.

Embora a integração de informações médicas com as informações pessoais disponibilizadas por pacientes seja o futuro do setor de E-Health, essa tendência ainda se depara com algumas dificuldades como por exemplo as barreiras legais da utilização de informações pessoais para laudos clínicos, dificuldade de acesso e uso de tecnologias por idosos e grupos com menor poder aquisitivo.

Em paralelo, muitos pacientes demonstram-se favoráveis a estas tendências, criando o que chamamos de e-patients. Os e-patients podem ser definidos como pacientes que tem interesse em colaborar e até participam de seu próprio cuidado médico, utilizando a internet e as plataformas de saúde para pesquisar e melhorar a sua saúde, considerando-se parceiros dos médicos no processo de transformação da saúde.

Mas afinal, o que tudo isso muda para os pacientes? A integração na saúde e o acesso de dados individuais dos pacientes por parte dos médicos, personaliza e otimiza o diagnóstico clínico para cada usuário, já que informações que antes dificilmente poderiam ser mensuradas em tempo real, como por exemplo pressão arterial, oxigenação do sangue, tempo de atividades físicas diário, agora são facilmente incorporadas às variáveis utilizadas na avaliação e decisão do tratamento médico de cada paciente.

Diante de todas as dúvidas sobre o futuro dessas transformações no mercado da saúde, tem-se uma certeza; a melhoria da qualidade de vida e da saúde da população mundial!

 

 

Em nossos próximos posts iremos falar um pouco mais sobre o futuro dos dispositivos de captura de informações pessoais, como por exemplo os Wearables!!