Como é a oferta de saúde no mundo?

World_health-2.jpg

Você sabe como funcionam e quais são os modelos de administração de saúde pública encontrados ao redor do mundo?Bem, antes de falarmos do funcionamento dos sistemas de saúde em cada país, é importante compreender dois conceitos, o da universalização e da segmentação da saúde.

  • Universal: deve atingir amplamente e irrestritamente a todos os cidadãos, independentemente da classe social, com financiamento público e alcançando uma enorme gama de vertentes da saúde. O sistema privado ficaria com a parte suplementar, por exemplo, tratamentos e procedimentos específicos.
  • Segmentação: atinge nichos distintos da sociedade, por exemplo, os com baixa renda ou um determinado grupo profissional. Neste modelo, o público e o privado se misturam na sociedade, tanto na questão do financiamento, quanto no atendimento dos pacientes. Basicamente um completa o outro.

Entendido isso, vamos falar um pouco sobre os modelos vigentes no mundo...

No Brasil, como em grande parte dos países, prevalece o modelo universal, onde todos podem e devem ser atendidos em hospitais públicos, fazer consultas com especialistas, exames laboratoriais, cirurgias, entre outros procedimentos independente da classe social. Tudo de graça.

Os países desenvolvidos utilizam o modelo universal em sua maioria, porém cada um com suas peculiaridades. No Canadá, por exemplo, a maior parte dos serviços de saúde são universais, porém procedimentos mais específicos ficam por conta do setor privado. Na França, 96% dos franceses são atendidos pelo setor público, porém caso o paciente opte por um médico com honorários acima do estipulado pelo sistema público, fica a cargo do paciente arcar com a diferença.

Os Estados Unidos é o exemplo mais famoso de país desenvolvido que utiliza um modelo segmentado. Nele, a maioria dos serviços de saúde são cobertos pelo setor privado, porém a população americana tem dois sistemas públicos; o Medicaid e o Medicare. O primeiro é destinado a população mais pobre do país ,e o segundo a idosos. Juntos, eles cobrem cerca de 1/4 da população americana.

Fica claro que dificilmente um país utiliza apenas um modelo, porém um deles prevalece sobre o outro.

Logo abaixo é possível visualizar uma tabela que apresenta o percentual do gasto público em relação ao gasto total em saúde em determinados países:

Fonte: Organização Mundial da Saúde (2006)

Percebe-se que embora o Brasil tenha uma prevalência do modelo Universal, a porcentagem dos gastos públicos sobre os gastos totais é inferior aos gastos privados, o que nos questiona: qual o motivo para isso ocorrer?

Baixo aporte de recursos do governo, baixa eficiência do setor de saúde pública brasileira, má administração dos gastos, baixa qualidade no atendimento, entre outros exemplos fazem com que a população busque nos planos de saúde privados uma alternativa para atender os cuidados de saúde que precisam.