Saúde

Qual foi a última vez que sua empresa pensou em: Pacientes?

Qual foi a última vez que sua empresa pensou em: Pacientes?

O mercado de saúde é composto por uma complexa cadeia de prestadores, os quais possuem responsabilidades, diretrizes e custos distintos. Por outro lado, o mercado como um todo, não apenas no setor da saúde, sofre mudanças de comportamento. Mudanças principalmente no que diz respeito à interdependência das partes, no sentido de unir potencialidades para minimizar as fraquezas em conjunto. Mas será que o setor da saúde tem provado esta união orientada ao foco correto?

E seus últimos anos de vida, já decidiu como serão?

novo_velho_futuro.jpg

Quem nunca sonhou com o futuro? Aliás, quem nunca teve a certeza de que o futuro será maravilhoso? E é justamente isso que nos espera, afinal ter diante de nós novas experiências, ver a família crescendo, viajar, coisas novas acontecendo ... tudo isso é bom demais não é?

Porém, já parou para pensar em um pedaço específico desse seu futuro? Seus últimos 10 anos de vida? Sim? Não?

Bom, de qualquer forma esse video é para você, espero que goste!!

https://youtu.be/Qo6QNU8kHxI

E ai gostou?

Bom pessoal, esse futuro começa agora, cuidar da sua vida nesse momento é o que vai aumentar as chances de ter uma vida incrível do começo ao fim!

Fazer check-ups periódicos, ir ao médico regularmente e ter hábitos saudáveis são muito importantes para vivermos felizes até nossos últimos anos de vida :)

Organizador de Medicamentos para ajudar no seu tratamento médico :)

organizador_remedios.jpg

Hoje vamos trazer algo diferente para vocês aqui no Blog, um organizador de medicamentos! Sabemos o quanto é difícil organizar nossos medicamentos ou de algum ente querido, especialmente quando nos deparamos com um tratamento complexo e que envolve múltiplos medicamentos que devem ser tomados em diferentes horários.

Bom, o Dr. CUCO está chegando em breve para resolver esse problema, se integrando com os softwares de prescrição digital dos médicos e convertendo em lembretes de medicamentos diretamente no App do paciente.

Porém como ainda estamos em testes apenas com alguns usuários e médicos, resolvemos criar uma planilha para organizar seus medicamentos :)

Gostou? Baixe aqui

 

 

 

O futuro sem fio da medicina, o que seu celular tem a ver com isso?

Dr.CUCO-App.jpg

O segmento da saúde passa por uma grande transformação, onde não apenas médicos e enfermeiros são os responsáveis por trazer saúde aos pacientes, mas também tudo que possa conectar o sistema de saúde, informações médicas, profissionais do setor, os pacientes e também seus familiares e amigos.

Como criar algo que possa criar essa conexão entre os pacientes e toda a rede de saúde e que possa ajudá-lo na busca pela qualidade de vida e saúde? Integrar informações vindas desses meios é o primeiro ponto, porém estimular que familiares e amigos participem do tratamento médico das pessoas também é fundamental para uma nova era de saúde que está por vir.

Em um dos posts anteriores, foram apresentados os wearables e como eles podem auxiliar as pessoas no cuidado de saúde, porém agora traremos os dispositivos mais importantes para que esse futuro sem fio da medicina finalmente chegue ao mundo, são os celulares e smartphones.

Utilizados em todo o mundo pelos mais variados públicos, independente de classe social, idade, gênero ou religião, é consenso que grande parte do mundo está conectado por meio desses dispositivos, o que os torna o meio mais democrático e simples para ligar os diversos atores e informações de saúde em prol de uma Saúde 2.0.

Bom, hoje vamos trazer um video de Eric Topol no TED, autor do livro "The Creative Destruction of Medicine" (Destruição Criativa da Medicina), professor de genômica e um dos maiores especialistas em medicina inovadora.

http://www.ted.com/talks/eric_topol_the_wireless_future_of_medicine?language=pt-br#t-189765

Fiquem de olho no Blog, em breve teremos mais novidades :)

E se quiser saber mais de Bigdata, Crowdsource e Apps, acesso o nosso post:

Crowdsource, BigData e Apps na área médica, o que prometem para o futuro da Saúde?

Feira Hospitalar 2015, o que esperar de uma das maiores feiras de saúde da América Latina

Hospitalar2.png

Na próxima semana ocorrerá uma das maiores feiras internacionais do setor de saúde, a Hospitalar 2015, nos pavilhões do Expo Center Norte, em São Paulo. A Feira une Produtos, Equipamentos, Serviços e Tecnologia para Hospitais, Laboratórios, Farmácias, Clínicas e Consultórios, onde além de lançar no mercado as mais importantes novidades do setor, se consolida como o maior evento especializado nesta área em toda a America Latina.

O evento contará com 1.250 expositores e a previsão é de que 91.000 profissionais visitem o evento, incluindo pesquisadores, dirigentes hospitalares, enfermeiros, médicos e outros profissionais que atuam em áreas relacionadas à saúde.

Logo abaixo é possível conhecer um pouco mais do perfil dos visitantes da feira.

visitacao-hospitalar-2015

E a Startup Dr. CUCO não vai ficar de fora deste grande evento! Estaremos presentes nos dias 19, 20 e 21 de maio. Quer saber um pouco mais da nossa plataforma de prescrições digitais e lembretes automáticos? É só entrar em contato com a gente :)

  • contato@drcuco.com.br
  • Gustavo Comitre - Chief Product Officer - (48)9662-1388 - Skype: gustavo_comitre
  • Lívia Cunha - Chief Operation Officer - Skype: livia-cunha

Quer saber mais da feira Hospitalar? Acesse os links oficiais do evento: Informações Gerais

Facebook da Hospitalar

 

 

 

 

 

 

Telemedicina: a revolução da saúde sem sair de casa!

telemedicine.jpg

A distância geográfica entre as pessoas e locais atualmente não pode mais ser considerada um fator limitante para que dois pontos, ou mais, estejam 24h conectados. As novas formas de comunicação e possibilidades de interatividade geradas por avanços na área de TIC provocam uma grande transformação na vida das pessoas, tanto social quanto culturalmente. No setor da saúde, esta tendência não poderia ser diferente. Já pensou em não precisar sair de casa para que seu médico te atenda? Medical Doctor holding a world globe in her hands as medical network concept

Além das tendências já citadas aqui no blog como os wearables, outras formas de conectar pacientes e médicos surgem a medida que as pessoas sentem-se confortáveis com a ideia de não precisarem interagir pessoalmente para que alguns problemas relacionados à saúde sejam percebidos e até mesmo amenizados. Dentro desta forte tendência de conexão entre estes dois importantes agentes da saúde, surge a telemedicina. Mas, o que é isso?

Segundo a OMS, a Telemedicina nada mais é do que a oferta de serviços na área da saúde em ocasiões em que a distância torna-se um fator críticos entre agentes do sistema, tornando então possível a assistência e cobertura de serviços do setor. Os serviços são ofertados por profissionais da área da saúde e a conexão na telemedicina é feita pelo uso de tecnologias da informação e comunicação com o intuito de intercambiar informações úteis ao diagnóstico, prevenção e ao tratamento de doenças. A telemedicina vem sendo utilizada ainda para pesquisas e avaliações de situações na área médica, a partir do intercâmbio de informações, soluções e resultados de casos e tratamentos.

A presidente do Healthcare Intelligence Network, Melanie Matthews, afirma que a área da Telemedicina está entre as áreas com maior crescimento no setor da saúde e a perscpetiva de crescimento não só nos EUA, mas em todo o mundo, demonstra-se constante e significativa. Abaixo é possível conferir um infográfico com números trazidos pelo site Healthcare Intelligence Network:

TelemedicineMarketGrowth

Os benefícios do uso da Telemedicina, tanto para os pacientes quanto para os operadores de saúde, comunidade médica e hospitais, tem chamado atenção de grandes players do mercado Healthcare. É o caso da operadora UnitedHealhcare, que anunciou parceria com três grandes prestadores deste serviço nos Estados Unidos – Non Clinic, DoctorDemand e American Well – afim de oferecer o benefício da telemedicina a seus pacientes e ainda reduzir significativamente os custos relacionados aos cuidados com pacientes dentro de hospitais. As consultas oferecidas por estas plataformas, que custavam em torno de US$40 , agora farão parte do plano de saúde oferecido pela UnitedHealthcare, e seus beneficiários poderão usufruir deste novo tipo de serviço sempre que preciso.

Além das plataformas citadas, surgem ainda outros players no mercado americano que tem demonstrado impactos significativos para o setor. É o caso do Teladoc, Healthtap e Oscar, que oferecem diferentes serviços de interatividade entre médicos e pacientes fora do ambiente do consultório e conquistam o olhar de investidores, provedores de saúde principalmente de pacientes, que agora tem uma alternativa que se adeque a esse novo estilo “conectado 24/7 ao mundo sem sair de casa” de ser.

E no Brasil? Como esta tendência vem sendo aproveitada? Fique de olho e confira em nosso próximo post!

 

 

Como é a oferta de saúde no mundo?

World_health-2.jpg

Você sabe como funcionam e quais são os modelos de administração de saúde pública encontrados ao redor do mundo?Bem, antes de falarmos do funcionamento dos sistemas de saúde em cada país, é importante compreender dois conceitos, o da universalização e da segmentação da saúde.

  • Universal: deve atingir amplamente e irrestritamente a todos os cidadãos, independentemente da classe social, com financiamento público e alcançando uma enorme gama de vertentes da saúde. O sistema privado ficaria com a parte suplementar, por exemplo, tratamentos e procedimentos específicos.
  • Segmentação: atinge nichos distintos da sociedade, por exemplo, os com baixa renda ou um determinado grupo profissional. Neste modelo, o público e o privado se misturam na sociedade, tanto na questão do financiamento, quanto no atendimento dos pacientes. Basicamente um completa o outro.

Entendido isso, vamos falar um pouco sobre os modelos vigentes no mundo...

No Brasil, como em grande parte dos países, prevalece o modelo universal, onde todos podem e devem ser atendidos em hospitais públicos, fazer consultas com especialistas, exames laboratoriais, cirurgias, entre outros procedimentos independente da classe social. Tudo de graça.

Os países desenvolvidos utilizam o modelo universal em sua maioria, porém cada um com suas peculiaridades. No Canadá, por exemplo, a maior parte dos serviços de saúde são universais, porém procedimentos mais específicos ficam por conta do setor privado. Na França, 96% dos franceses são atendidos pelo setor público, porém caso o paciente opte por um médico com honorários acima do estipulado pelo sistema público, fica a cargo do paciente arcar com a diferença.

Os Estados Unidos é o exemplo mais famoso de país desenvolvido que utiliza um modelo segmentado. Nele, a maioria dos serviços de saúde são cobertos pelo setor privado, porém a população americana tem dois sistemas públicos; o Medicaid e o Medicare. O primeiro é destinado a população mais pobre do país ,e o segundo a idosos. Juntos, eles cobrem cerca de 1/4 da população americana.

Fica claro que dificilmente um país utiliza apenas um modelo, porém um deles prevalece sobre o outro.

Logo abaixo é possível visualizar uma tabela que apresenta o percentual do gasto público em relação ao gasto total em saúde em determinados países:

Fonte: Organização Mundial da Saúde (2006)

Percebe-se que embora o Brasil tenha uma prevalência do modelo Universal, a porcentagem dos gastos públicos sobre os gastos totais é inferior aos gastos privados, o que nos questiona: qual o motivo para isso ocorrer?

Baixo aporte de recursos do governo, baixa eficiência do setor de saúde pública brasileira, má administração dos gastos, baixa qualidade no atendimento, entre outros exemplos fazem com que a população busque nos planos de saúde privados uma alternativa para atender os cuidados de saúde que precisam.