Alimentação saudável: dicas para comer bem em casa

Já sabemos a importância de uma alimentação saudável há muito tempo, não é mesmo? Aprendemos isso lá na escola… Mas, muitas vezes não colocamos em prática. Colocamos desculpas como por exemplo: “minha vida é muito corrida, preciso de coisas rápidas e práticas” ou “comer bem é muito caro“. No post de hoje vamos te ensinar que é possível comer bem aí na sua casa, mesmo com sua vida corrida e agitada, ou seja, dá sim para ter uma alimentação adequada e saudável, com comida de verdade, de maneira super fácil e prática.

É importante lembrar que sua saúde é muito importante, e não só você já ouviu a frase “você é aquilo que come“, mas também deveria pensar nisso! Este assunto é tão sério e importante que até o Ministério da Saúde publicou algo nesse sentido, o Guia Alimentar para a População Brasileira.

Clique aqui para ler o Guia Alimentar para a População Brasileira

Para nos ajudar neste desafio, convidamos uma pessoa muito especial, que sabe bem desse assunto e, portanto, nos ajudará com algumas dicas, a nutricionista Fátima Corradini Domingues.

Leia também: “Das prateleiras à mesa: guia prático de como manusear e utilizar os alimentos de forma adequada“.

Alimentação saudável: dicas para comer bem em casa
Arquivo pessoal Fátima Corradini Domingues
Saiba mais sobre a Fátima

Mãezona super dedicada de duas crianças lindas e cheias de energia: Marina (7 anos) e André (6 anos); além disso, Fátima é apaixonada por seu filho de quatro patas, João Tobias, um cachorro “sem raça definida”, como ela mesma diz. 😄

Nutricionista, pós graduada em Nutrição Clínica pelo Ganep e Gestão de Serviços de Saúde pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com 20 anos de experiência em gestão de serviços de alimentação, assistência nutricional, assim como implantação de processos de qualidade e garantia à segurança alimentar.

Consultora na Distribuidora Santa Helena, empresa que está no mercado há 18 anos garantindo o fornecimento de produtos hortifrutigranjeiros de alta qualidade, seja in natura, higienizados ou processados, desde seu plantio até seu cliente e/ou consumidor final.

Siga @dist.stahelena e leve comida de verdade 100% natural para sua mesa (entregam em São Paulo e Grande São Paulo).

Em caso de dúvidas para montar sua cesta, a Distribuidora Santa Helena disponibiliza um canal via whatsapp, isto é, um atendimento direto com uma nutricionista (11) 95925-3793.

Foto: Divulgação – Distribuidora Santa Helena

Confira também: “Obesidade: fator de risco para COVID-19“.

Qual a diferença entre alimentos in natura, minimamente processados, processados e ultraprocessados?
  • In natura: a forma íntegra de partes de origem vegetal ou animal, ou seja, carnes em geral, legumes, frutas e verduras, sem cozimento ou quaisquer outros tipos de processamento
  • Minimamente processados: quando o alimento passa por um simples processo de alteração de sua forma original, porém, sem adição de qualquer substância, como, por exemplo: moagem, pasteurização ou limpeza. O arroz parbolizado também é um exemplo.
  • Processados: caracterizados pela adição de algum ingrediente, tais como: açúcar, sal ou outras substâncias – dessa forma, não apenas conservas em salmouras, como também compotas de doces.
  • Ultraprocessados: processo de transformação completa de um alimento ou nenhum alimento, ou seja, através da industrialização e processamento de ingredientes, com acréscimo de aditivos (como flavorizantes) e conservantes.
O que é alimentação saudável?

Uma alimentação saudável está fundamentada basicamente nas 4 Leis de Escudero (em 1937, Pedro Escudero, médico argentino, criou as “Leis da Alimentação“) que são: quantidade, qualidade, harmonia e adequação, portanto uma alimentação saudável também deve ser variada. E, claro, tendo como prioridade alimentos in natura (como expliquei aqui em cima).

É possível ter uma alimentação saudável gastando pouco dinheiro?

Sim! 😉
Dentro das condições particulares de cada pessoa, a escolha deve ser feita sempre priorizando a forma mais simples e original dos alimentos, desse modo, conseguimos ter uma diversidade muito grande de alimentos e preços. Mas, com planejamento e um bom aproveitamento do alimento, é totalmente possível.

Como podemos planejar as compras dos alimentos, especialmente os mais perecíveis, de forma organizada e prática?

As compras devem seguir uma programação de preparo e quantidade de pessoas para as refeições. Os alimentos perecíveis devem ser adquiridos com atenção à validade em conjunto com a previsão de utilização, para que não ocorram desperdícios ou riscos à segurança ao consumir aquele alimento.

Quais dicas para uma rotina de alimentação saudável e variada?

A primícia da escolha é que vai determinar o quão sua alimentação poderá ser saudável e prática. Costumo dizer que tudo aquilo que te faz ter “trabalho” para comer, como higienizar, descascar e mastigar, por exemplo, já é uma bom indício de saudável, por outro lado, tudo que não exige muito esforço, como abrir um pacote e está pronto, foge a esta regra. Opte por alimentos in natura, sempre em quantidade suficiente, elabore uma refeição colorida e com texturas variadas, assim como determine horários para realizar suas refeições. Vale lembrar que é importante o ambiente adequado para o momento da refeição, que deve ser o mais aconchegante possível.

Na correria do dia a dia as pessoas optam por alimentos rápidos, e portanto comem fast-food e ultraprocessados; como podemos trocar esses alimentos sobretudo por “comida de verdade”?

Montar porções e “pré-preparar” alimentos in natura gera praticidade e ganho de tempo para seu consumo, mas exige planejamento para esta preparação e fracionamento. Existe uma infinidade de receitas como: chips de frutas ou legumes, oleaginosas, saladas, congelamento de alimentos pré-processados in natura ou, até mesmo, cozidos ou assados. O tempo dedicado em casa para o preparo, será o tempo ganho para o consumo durante a correria do dia, ou seja, podendo escolher o momento deste preparo.

Tem alguma dica para quem tem dificuldade ou não gosta de beber água?

Para os não amantes da água, podemos diversificar seu sabor através de preparo de águas saborizadas com frutas e ervas de sua preferência, ou consumo de chás ou sucos de frutas – todas estas estratégias também podem suprir a quantidade necessária de ingestão hídrica diária recomendada.

Fique de olho aqui no blog, acompanhe as próximas postagens.
Nossos conteúdos são fontes seguras de informações
.
Mudando hábitos, dá para viver mais e melhor 💙

alimentacao-saudavel-dicas-para-comer-bem-em-casa
Baixe nosso aplicativo gratuito nas lojas: Android e iOS

Clique aqui para instalar o CUCO gratuito para Android

Clique aqui para instalar o CUCO gratuito para iOS

Acompanhe o CUCO nas redes sociais:
Instagram: @cucohealth
Facebook: CUCO
Canal do Youtube: CUCO – Lembretes de medicamentos

Saiba tudo sobre o novo Coronavírus.