bad_viruses
Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. Recebe esse nome porque no microscópio parece uma coroa. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/2019 após casos registrados na China, provoca sintomas similares aos da gripe.

Sintomas

O vírus pode deixar as pessoas doentes, geralmente com uma doença do trato respiratório superior de leve a moderada, semelhante a um resfriado comum.
Em algumas pessoas pode também, causar uma doença do trato respiratório mais baixo e muito mais grave, como as pneumonias. Os sintomas do Coronavírus incluem febre, tosse e dificuldade para respirar.
Atenção redobrada para: idosos, pessoas com doenças prévias, como doenças cardiovasculares ou pulmonares, diabetes, hipertensão, sistema imunológico enfraquecido ou pacientes oncológicos. Este grupo é considerado de risco e têm maiores chances de apresentar a doença na forma mais agravada.
corona_symptons
Grupo 137

CONTATO COM PESSOAS INFECTADAS
(aproximadamente 1 metro)

Grupo 293

CONTATO DIRETO COM SECREÇÕES

Grupo 410

OBJETOS OU SUPERFÍCIES CONTAMINADAS

Transmissão

Quando se trata da transmissão de vírus de humano para humano, geralmente acontece quando alguém entra em contato com as secreções de uma pessoa infectada, como gotículas na tosse.
O Coronavírus pode ser transmitido de uma pessoa infectada para outra, mesmo que não estejam muito próximas, por meio de: gotinhas de saliva, tosse, espirro, catarro ou aperto de mão. O vírus também pode ser transmitido ao tocar em algo que uma pessoa infectada tocou e depois em sua boca, nariz ou olhos.

PREVENÇÃO

Medidas simples podem ajudar na prevenção, o Ministério da Saúde, reforça a prevenção individual com a etiqueta respiratória (como cobrir a boca com o antebraço ou lenço descartável ao tossir e espirrar), o isolamento domiciliar ou hospitalar de pessoas com sintomas da doença por até 14 dias e lavar bem as mãos com água e sabão, de forma que lave: dedos, unhas, punho, palma e dorso com água e sabão, não se esqueça de retirar anéis, aliança e relógios antes de lavar as mãos.

É muito importante a prática da higiene frequente, assim como a desinfecção de objetos e superfícies tocados com frequência, como telefones, celulares, brinquedos, teclados, maçanetas, corrimão.

Para a limpeza doméstica (em casa) é recomendado o uso de produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária.
Já para higienizar louças e roupas, a orientação é o uso de detergentes próprios para cada um dos casos. Se possível separe roupas e roupas de cama das pessoas infectadas para que seja feita a higienização separadamente, mas caso não seja possível fazer a lavagem destas roupas imediatamente, a recomendação é que elas sejam armazenadas em sacos de lixo plástico até que seja possível lavar.

Como a transmissão é feita pelo contato humano, com pessoas infectadas, devemos mudar a forma como nos cumprimentamos!
Evite abraços, apertos de mãos e beijos, inclusive no rosto.

Grupo 181
CUBRA NARIZ E BOCA AO ESPIRRAR OU TOSSIR
Grupo 146
LAVE SUAS MÃOS OU USE ÁLCOOL GEL 70%
Grupo 292
NÃO COMPARTILHE OBJETOS PESSOAIS
Grupo 291
EVITE CONTATO COM PESSOAS SINTOMÁTICAS

TRATAMENTO
(ainda não existe tratamento específico)

Algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso:
Grupo 290
REPOUSO
Grupo 289
CONSUMO DE BASTANTE ÁGUA
Grupo 287
MEDICAMENTOS PARA DOR E FEBRE
Grupo 288
UMIDIFICADOR OU TOMAR BANHO QUENTE
E a melhor ferramenta para te ajudar no tratamento é o nosso aplicativo CUCO lembrando você de tomar o medicamento na hora certa e também das suas consultas.
Disponível no Google Play
Disponível no Apple Store

Isolamento social e distanciamento – saiba a importância

Em tempos de pandemia, ouvimos muito sobre isolamento social e distanciamento social, e isso nos gera muitas dúvidas, não é mesmo? 🤔 Pensando nisso, fizemos esse post com esclarecimentos do Dr. Eduardo Zincone – médico assistente da Disciplina de Emergências Clínicas do HC-FMUSP e sócio-diretor da Humanitar Serviços Médicos. No dia 20 de março o Ministério da Saúde declarou o reconhecimento da transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o território nacional, ou seja, o Brasil deve se unir contra o vírus. Dessa forma, a declaração do Ministério da Saúde coordena todos os gestores nacionais para que adotem medidas para promover o isolamento social e o distanciamento, sendo assim, evitando aglomerações. Portanto, medidas não farmacológicas devem ser adotadas, ou seja, condutas que não envolvem o uso de medicamentos ou vacinas. Leia mais sobre Coronavírus. Veja a entrevista completa, e entenda sobre a importância do isolamento social e distanciamento no Brasil. Por que durante a pandemia há recomendação para isolamento social? Para entendermos isso, precisamos primeiramente entender o conceito de R0, que é o número básico de transmissão, desse modo, quantas pessoas um infectado contaminará. No caso da COVID-19 (CoronaVírus Disease – 19), o R0 básico é estimado entre 2,5 e 3. Dessa forma, para cada pessoa infectada, outras 2,5 a 3 serão infectadas. Isto leva a uma progressão bem rápida, em torno de 60.000 casos em 2 meses, e 14.551.915 em 3 meses. Considerando que a doença seja transmissível no quinto dia pós-contágio. Outro problema é que, como se trata de um novo vírus, praticamente toda a população mundial é suscetível à infecção. Como não possuímos vacina (reduziria o número máximo de pessoas que poderiam ser infectadas e reduziria o R0) ou medicamento curativo para a COVID-19, nossa única alternativa é o isolamento social. O isolamento social reduz o R0, pois, cada pessoa, tendo contato com um número menor de outras pessoas, infecta menos pessoas. Com isso, há redução importante na velocidade de propagação da doença e, também, com menos pacientes graves ao mesmo tempo, possibilitando que o sistema de saúde consiga lidar com a chegada de novos casos. Se com o isolamento social conseguirmos reduzir o R0 para ao redor de 1, ou seja, se cada infectado contaminar apenas 1 outra pessoa, o sistema de saúde conseguirá lidar de forma muito melhor com a pandemia. Apenas para comparação, o R0 da “gripe suína” (H1N1) antes da vacinação em massa das pessoas era de 1,4 a 1,6. E o sarampo, doença extremamente contagiosa, apresenta um R0 entre 12 e 16, embora haja alguns estudos com valores ao redor de 18. O que significa “achatar a curva“? Lembra do R0? Com a redução do R0 causada pelo isolamento social, o número de casos simultâneos cai, e, com isso, o número simultâneo de pacientes que necessitam de atenção hospitalar, ou, em alguns casos, até mesmo suporte em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e ventilação mecânica. Evitando a sobrecarga, isto é, havendo disponibilidade de leitos e equipamentos proporcionais ao número de casos. Acredita-se que a mortalidade da COVID-19 seja em torno de 1%. Este número pode se tornar menor a medida que testamos maior parte da população, e também com a criação de testes sorológicos. Na Itália, onde os esforços de isolamento social e achatamento da curva foram tardios e pouco eficientes, levando a uma deterioração do sistema de saúde, a mortalidade está entre 8 e 12%. Confira o artigo do New England Journal of Medicine. Meu filho é criança, está com saudade dos avós, posso levá-lo para visitá-los? Definitivamente não. Os idosos são as pessoas com maior risco para desfecho ruim pela COVID-19, desfechos estes como sequelas graves, complicações e até mesmo óbito. Ao mesmo tempo, crianças tendem a ser portadores pouco sintomáticos ou mesmo assintomáticos, ou seja, podem transmitir o vírus mesmo sem sintomas, então este contato deve ser sempre evitado. Qual a distância recomendada devemos ter das pessoas, caso precisemos sair de casa? A recomendação atual é idealmente 2 metros. Isso porque a transmissão habitualmente é por gotículas, e estas não conseguem “andar” mais que esta distância no ar. Mas sempre precisamos ter cuidados com onde encostamos, pois o vírus pode permanecer ativo em superfícies em torno de 12 horas. Se precisar ir ao mercado ou à farmácia, quais cuidados deverão ser tomados? Evitar ficar a menos de 2 metros de distância de outras pessoas, evitar ao máximo tocar o rosto e sempre higienizar as mãos, seja lavando ou utilizando álcool em gel 70%. Posso passear com meu cachorro na rua ou fazer exercícios ao ar livre? O ideal é evitar quaisquer atividades que possam levar ao contato próximo com outras pessoas e ter cuidado com as superfícies, porém tomando os devidos cuidados e limitando o tempo do passeio ou dos exercícios é possível, desde que você não tenha outras doenças ou seja idoso. Onde o vírus se mantém vivo? E por quanto tempo vive em cada objeto? Já há alguns estudos publicados quanto a isso, até mesmo em jornais médicos de renome, como o New England Journal of Medicine, que mostram uma persistência do vírus em torno de 12 horas na maioria dos materiais (como, por exemplo, plástico, vidro e outros), porém estes estudos foram feitos em condições de laboratório, com temperatura e umidade fixas. Não há estudos ainda de como o vírus se comporte em materiais expostos à elementos ou mesmo a luz solar, mas por segurança devemos considerar como, no mínimo, 12 horas de persistência do vírus. Se o vírus circula no ar, mesmo com distanciamento social podemos nos contaminar? O vírus, em situações normais, não circula no ar e sim em gotículas, como as produzidas quando tossimos ou espirramos. Em algumas situações específicas que ocorrem geralmente dentro de hospitais, o vírus pode, sim, circular “no ar”, como, por exemplo, quando um paciente está sob ventilação mecânica ou quando realiza uma inalação. As formas mais habituais, neste momento, para as pessoas se contaminarem, é por meio de superfícies e posterior contato com rosto ou olhos ou por […]

A doação de sangue não pode parar!

Nos últimos dias, temos falado e escutado muito sobre ficar em casa, isolamento social, distanciamento social e quarentena, tudo isso devido à pandemia que estamos vivendo, causada pela COVID-19. Sendo assim, o que aconteceu com a doação de sangue? 🤔 Como resultado, houve uma diminuição drástica nos estoques dos Banco de Sangue do nosso país. Por conta deste cenário, entramos em contato com um dos maiores Hemocentros do Brasil – Hemocentro São Lucas. Desde 1972, na vanguarda da hemoterapia e hematologia, e hoje atuando na grande São Paulo, Santos, Distrito Federal e Rio de Janeiro. Foi o primeiro Hemocentro acreditado fora do Canadá, com selo de qualidade internacional, pela Qmentum International Accreditation Canada – Driving Quality Health Services com o maior nível: DIAMANTE. Veja também: Doação de sangue não pode parar com pandemia, orienta Ministério da Saúde Drº Ricardo Pereira, médico hematologista e diretor executivo do Hemocentro São Lucas, nos concedeu uma entrevista, e esclareceu dúvidas sobre a doação de sangue no atual cenário. Como estão os estoques nos bancos de sangue? No momento, o estoque de sangue é suficiente para o atendimento aos hospitais, mas devido a todas ações necessárias para o combate a epidemia, eles já estão caindo e se não houver aumento no número de doadores, provavelmente não iremos conseguir atender a todos os pacientes O que os bancos de sangue estão fazendo para garantir a segurança na doação de sangue: Existem normas do Ministério da Saúde, que regulamentam o processo de doação de sangue. Assim como a população é orientada quase todo dia, sobre como evitar a contaminação pela COVID-19, nós também recebemos outros informes oficiais, tanto do Ministério da Saúde, como das Vigilâncias Sanitárias e entidades como Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (ABHH). Dessa forma, todas as medidas estão sendo tomadas, como distanciamento das pessoas, cuidados redobrados na limpeza da unidade e dos equipamentos, e diversas outras medidas, para evitar qualquer risco para o doadores. E se eu fui vacinado para gripe, posso realizar a doação de sangue? A vacina que está sendo utilizada nos serviços públicos, são de vírus inativados e portanto, a doação é possível 48 horas após a vacinação. Como evitar filas e aglomerações, durante a doação de sangue? Estamos agendando as doações, sendo assim, de forma a permitir um melhor fluxo dentro da unidade de coleta. Entre no nosso site (clique aqui), onde é possível acessar os telefones de contato. Se eu fui diagnosticado com coronavírus, posso doar? Somente após 30 dias da recuperação completa de todos os sintomas, ou seja, quando estiver completamente bem de saúde. Se eu tive contato com alguém que teve exame de coronavírus positivo, posso doar? Somente após 14 dias, da data que teve este contato. Como é o processo de doação de sangue? Você irá passar por 4 etapas: Cadastro: primeiramente será registrado, através de um documento oficial com foto, todos os seus dados; Triagem: em segundo lugar, um profissional da área da saúde irá fazer uma entrevista clínica e medir pressão, temperatura, frequência cardíaca e avaliar se você tem anemia ou não (dosagem da hemoglobina); Coleta: posteriormente, em um ambiente confortável e deitado, será realizada a coleta de até 450 ml de sangue, etapa que ocorre em até 15 minutos; Recuperação: em seguida, será servido um pequeno lanche e hidratação, para sua recuperação completa, antes da sua liberação. Quem pode doar sangue? Recomendamos que a pessoa: Esteja em boas condições de saúde; Tenha entre 16 e 69 anos; Peso > 50 Kg; Não vá para o Hemocentro em jejum, ou seja, faça uma refeição leve antes de doar; Intervalo de 60 dias (2 meses, máximo 4 vezes) para homens e 90 dias (3 meses, máximo 3 vezes) para mulheres; No caso de mulheres, não esteja amamentando ou grávida; Não seja diabético em uso de insulina; Tatuagem/piercing nos últimos 6 ou 12 meses (será avaliado); Não ter tido convulsão ou epilepsia; Não apresente sintomas de gripe/resfriado. Acompanhe o Hemocentro São Lucas no Instagram: @hemocentrosaolucas Quer saber mais sobre Coronavírus? Clique aqui. Além disso, leia também: Lavagem das mãos, arma de prevenção contra a COVID-19

Hospital das Clínicas – Ajude esse gigante na guerra

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), o maior hospital da América Latina, ou seja, uma das principais Instituições do SUS, está na linha de frente no combate da pandemia, causada pela COVID-19. Para contribuir, médicos residentes iniciaram uma campanha com a #VemPraGuerra, pois sabem que será uma longa batalha. Entramos em contato com o Hospital para confirmar a veracidade da Campanha. Trata-se de um Movimento voluntário que, certamente, tem sido um sucesso nas redes sociais, com participação de grandes artistas e divulgada em vários meios de comunicação. Conversamos com Dan Novachi, assessor de comunicação da campanha, que nos concedeu o material de divulgação. O CUCO Health apóia essa causa, por isso, vamos juntos nessa luta! 💙 Clique aqui e saiba mais sobre Coronavírus. #VemPraGuerra – Hospital das Clínicas Acima de tudo, esses soldados, que usam como farda o jaleco branco, resolveram garantir os estoques “das armas essenciais” para os atendimentos, como máscaras cirúrgicas, máscaras N-95, álcool gel, aventais e toucas descartáveis. Enfim, além desses materiais chamados de equipamentos de proteção individual (EPIs), a Instituição necessita, emergencialmente de três máquinas de raio-x portáteis, custando aproximadamente cerca de R$ 770.000,00 cada, para que pacientes graves sejam acompanhados, sem risco de disseminação do vírus. Da mesma forma que um soldado não vai para guerra sem instrumentos básicos para sua sobrevivência, os profissionais que estão a frente do hospital (médicos; enfermeiros; técnicos de enfermagem; fisioterapeutas; equipe de radiologia, nutrição, higienização, segurança, entre outros que compõem a equipe multidisciplinar) também não podem lutar, sem insumos básicos. Segundo as previsões da Diretoria e Gestão de Suprimentos do HC-FMUSP, em um mês normal de atendimento são utilizados, aproximadamente, 5.700 unidades de máscaras N-95, 135.000 unidades de máscaras cirúrgicas, 1.330 litros de álcool em gel, 15.000 unidades de aventais descartáveis e 105.000 unidades de toucas descartáveis. Mas, com a chegada do novo Coronavírus no Brasil, esse cenário sofreu uma mudança drástica. Infelizmente, com o avanço da pandemia, a demanda nacional desses insumos esgotou os estoques e acarretou o aumento exponencial dos preços em todo o país. Por exemplo, as máscaras N-95, que previamente à crise custavam cerca de R$ 1,35 a unidade, atualmente estão custando cerca de R$ 27,90. Afinal, o que é o movimento #VemPraGuerra do Hospital das Clínicas? Trata-se, então, de uma campanha de mobilização social para ajudar os profissionais do Hospital das Clínicas no combate ao novo Coronavírus. Sendo assim, as doações serão revertidas para a compra de 40.000 máscaras N-95, 670.000 máscaras cirúrgicas, 6.700 litros de álcool gel, 45.000 aventais descartáveis, 211.000 toucas descartáveis suficientes para 02 meses de atendimento, segundo as projeções de aumento dos atendimentos, e as 3 máquinas portáteis de raio-x. Além disso, todo dinheiro será arrecadado por meio de uma plataforma de financiamento coletivo e será transferido integralmente para a Instituição. Quero ajudar o Hospital das Clínicas! Como faço? Você pode ajudar, sem sair de casa! 😃 Portanto, continuará seguindo as recomendações feitas pelo Governo. Acesse e faça sua doação: https://www.charidy.com/VEMPRAGUERRA Confira como divulgar a campanha, e ajudar o Hospital das Clínicas: Instagram da Campanha: @vem.pra.guerraClique aqui e tenha o tema da Campanha na sua foto de perfil do Facebook Assista o vídeo da Campanha! 😉 Siga a gente no Instagram: @cucohealth Se inscreva no nosso canal do Youtube: CUCO – Lembrete de medicamentos

Lavagem das mãos, arma de prevenção contra a COVID-19

Lavagem das mãos, é algo que o mundo inteiro tem feito mais vezes nos últimos meses, portanto com mais intensidade, saiba o porquê nesse post. Por conta do surgimento do novo Coronavírus, que começou com alguns casos registrados de pessoas infectadas no final de 2019, na China, e desde então se espalhou pelo mundo. Como resultado, estamos vivendo uma pandemia, conforme declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS). Consequentemente, aumentamos nossos hábitos de higiene, por exemplo, aprendemos a etiqueta respiratória (cobrir a boca com o antebraço ou lenço descartável ao tossir e espirrar), e acima de tudo, reforçamos a lavagem das mãos com água e sabão ou o uso de álcool gel 70%, pois essas são armas poderosas contra o novo Coronavírus. Se quiser saber mais sobre o Coronavírus: Coronavírus Na lavagem das mãos, tem jeito certo para fazer? Sim! 🙂 Primeiramente, não basta molhar as mãos e esfregar rapidinho com um pouquinho de sabão. Se você faz isso e acha que realizou a lavagem das suas mãos, está enganado. Você pode ter tirado a sujeira visível, dessa forma, mas não eliminou vírus e bactérias presentes em suas mãos. Abra a torneira e molhe as mãos, evitando encostar na pia. Aplique na palma da mão a quantidade suficiente de sabonete para cobrir todas as superfícies das mãos e ensaboe as palmas das mãos friccionando-as entre si. Esfregue a palma da mão direita contra o dorso (costas) da mão esquerda (e vice-versa) entrelaçando os dedos. Entrelace os dedos e friccione os espaços interdigitais (entre os dedos). Esfregue o dorso (costas) dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (e vice-versa), segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem. Esfregue o polegar esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita (e vice-versa), utilizando movimento circular. Esfregue as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice-versa), fazendo movimento circular. Esfregue o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita (e vice-versa), utilizando movimento circular. Enxágue as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evitando contato direto das mãos ensaboadas com a torneira. Seque as mãos com pano limpo ou toalha individual (se possível). Seque as mãos com pano limpo ou toalha de uso individual, se possível. Veja as partes que mais esquecemos durante a lavagem das mãos: Para lavar as mãos, qualquer sabonete serve? Sim, pode ser o sabão ou sabonete que você tem em casa (por exemplo: sabão de coco ou sabão neutro também servem).Não precisa ser nenhum especial. Por quanto tempo devo lavar as mãos? Segundo a OMS, a lavagem das mãos com água e sabão de forma correta, demora entre 40 a 60 segundos, ou seja, é aproximadamente o tempo de cantar um “parabéns para você“. Faça o teste, além de se divertir bastante estará cuidando da sua saúde. Devo usar água quente na lavagem das mãos? Não é necessário! Use água em temperatura normal mesmo, isso vai te ajudar a evitar o ressecamento de suas mãos por exemplo. Lembre-se sempre de usar água corrente, ok? Após a lavagem das mãos com água e sabão preciso usar álcool em gel 70%? Também não é necessário. Se você fez o processo de lavagem das mãos corretamente, como explicamos acima, suas mãos já estão limpas e livres de vírus e bactérias. Ver essa foto no Instagram Com o novo #Coronavírus, a COVID-19 foi declarada como pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), surgiram muitas dúvidas sobre prevenção. A compra excessiva de máscaras deixou o produto esgotado em vários lugares, o que impacta até na compra do produto pelas Instituições de Saúde para proteção dos profissionais. 😷 Afinal, você sabe quando usar máscara? 🤔 #ArrasteParaOLado 👉🏻 Nos ajude a compartilhar essa informação, divulgue para todos que você ama! 💙 #Covid19 #Prevenção #InformaçãoSegura #MinistérioDaSaúde #UsoConsciente #ForçaBrasil 🇧🇷 #CucoHealth #GoCuco 🚀 Uma publicação compartilhada por CUCO Health (@cucohealth) em 19 de Mar, 2020 às 3:29 PDT Ver essa foto no Instagram Saiba mais sobre as diferenças entre a COVID-19 e outras síndromes gripais. 🤧🤒 #ArrasteParaOLado 👉 Acesse nosso site: cucohealth.com/corona-virus e fique por dentro das recomendações e atualizações do Ministério da Saúde @minsaude 🇧🇷 Nosso time acredita que a informação segura é a melhor prova de amor com vocês que nos acompanham, por isso, nos preocupamos com a qualidade da informação. 💙 Estamos seguindo as orientações, em #homeoffice 👩🏻‍💻👨🏼‍💻, mas nosso compromisso é mantê-los atualizados. Divulgue a informação para seus familiares e amigos, marque alguém que você ama nos comentários. 👇🏾 #Coronavírus #Covid19 #InformaçãoSegura #MinistérioDaSaúde #ForçaBrasil #GoCuco #CucoHealth Uma publicação compartilhada por CUCO Health (@cucohealth) em 18 de Mar, 2020 às 4:21 PDT